quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

TEMPO DE AMAR ...E TEMPO DE ABORRECER...?

2010   ANO  NOVO  VIDA  NOVA....  VIDA   CONVERTIDA, VIDA  RE-CRIADA!
" Tudo  tem  o  seu  tempo  determinado  debaixo  do sol... há  tempo  para  nascer... tempo  para  morrer, tempo de plantar... tempo  de  colher... tempo de guerra e  tempo  de  paz, tempo  de  amar  e  tempo  de  aborrecer..." ( biblia sagrada Eclesiastes 3: 1-4)


Tempo  de  amar  e  tempo  de  aborrecer...? tempo de  aborrecer o  amor fingido.
Fazemos  as  famosas  festas  de  boas  entradas  de ano,  a  cada  ano  que  passa. Buscamos  o  significado do  ano Novo  na  antiguidade  e  na  cultura  dos  povos, que  foi  se  aprimorando  com  os  tempos.
O Ano-Novo é um evento que acontece quando uma cultura celebra o fim de um ano e o começo do próximo. Todas culturas que têm calendários anuais celebram o "Ano-Novo". A celebração do evento é também chamada réveillon, termo oriundo do verbo réveiller, que em francês significa "despertar". Despertar para  um  novo  tempo, despertar  para  as  Boas  Novas  dos  santos  Evangelhos. Assim  diz-nos  o  profeta: "Anunciar  aos  cativos  um  ano  aceitável   do  Senhor...( conforme  texto Levíticos  cap. 25: 8-55) O  ano  do  Jubileu...Ano do Perdão de  Todas  as  grandes  dívidas  com  terras...(Ano  51 ) Também  era  o  ano  da  re-conciliação das  famílias, as  famílias  dos velhos  judeus do antigo Testamento (conforme a lei do Livro de Levíticos)  recebebiam  as suas  terras  que  estavam  penhoradas  e estavam  em  poder  das  empresas, em  poder  dos  baancos, poder  do  Estado, em  poder  dos  grandes  fazendeiros  etc. VIVA  O  ANO  51  ANO  DO  JUBILEU, VIVA O GRANDE  ANO  DO  PERDÃO  DE  TODAS  AS  NOSSAS  DÍVIDAS! Este  é  o  novo DESPEERTAR  DE  UM  NOVO  AMANHÃ !


A comemoração ocidenteal tem origem num decreto do governador romano Júlio César, que fixou o 1º de janeiro como o Dia do Ano-Novo em 46 a.C. Os romanos dedicavam esse dia a Janus, o deus dos portões. O mês de Janeiro, deriva do nome de Janus, que tinha duas faces - uma voltada para frente e a outra voltada para trás.
O psicanalista  Francisco Carlos dos Santos  assim  se  expressa  em  seu  comentário:
Um dia desses encontrei no chão, ao lado de umas flores, no pátio de minha casa, a metade de um ovo. Era um pequeno ovo partido, sinal de que algum nascimento acabara de ocorrer por ali. Com um sorriso solitário e satisfeito, pensei: vida! Aqui se multiplica a vida. De imediato, como em associação livre, ocorreu-me perceber, de forma concreta e quase palpável, a existência e o peso real do tempo. O tempo é uma dimensão indissociável da vida, que deixa marcas visíveis em cada um, impõe a realidade de nosso limite e finitude e, talvez por isso mesmo, esqueçamos tanto dele.

NOSSAS  EMOÇÕES  SÃO  COMPARADAS  AO  OVO EM  MATURAÇÃO
O ser humano, entretanto, vive dentro do tempo, armando ciclos infindáveis que se seguem uns aos outros e que lhe permitem demarcar e ordenar sua experiência psíquica. Isso é assim porque, nesses ritmos de compasso variado, o sujeito representa – entre interrupções e conexões, entre a luz do dia e a escuridão da noite - constrói a consciência do tempo. Foi essa  IDÉIA que eu tive ao ver o pequeno ovo partido: o tempo não pára! Nós  também  não paramos  de  amadurecer pelo tempo afora.

Refletindo sobre esses ciclos, dou-me conta que nos aproximamos do final de mais um deles: o fim do ano. Nessa época, marcada por festas que despertam sentimentos tão intensos quanto contraditórios, uma grande parcela da humanidade festeja o nascimento e a morte – Natal e final do ano – no espaço de apenas uma semana. O nascimento desse pássaro, que nem sequer sei por onde anda, transportou-me para muitas reflexões sobre o significado do tempo na experiência subjetiva do ser humano e seu impacto no aparelho psíquico, nossas emoções devem amadurecer com os anos que passam.Assim como sua passagem nos deixa marcas, também é um aliado precioso – ter tempo – para a necessária elaboração das diversas situações de intensidade afetiva e de sofrimento psíquico pelas quais passamos na vida.


O  TEMPO TUDO  MUDA - MAS  O  AMOR  VERDADEIRO  VENCE  TODOS  OS  TEMPOS
Diz- nos  o  padre  Vieira  o  tempo "tudo  muda", o tempo  tudo  faz  esquecer,tudo se  gasta, tudo digere,tudo acaba, nada porém, está tão sujeito  à jurisdição  do  tempo  como o  amor. As  nossas  afeições  são  como  as  vidas humanas, que não há mais certo  sinal  de  haverem de  durar pouco  ou  durar  muito. Por  isso  os  antigos  pintavam  o  amor  comparado  ao  menino, porque  não há amor que fique  tão robusto e  tão  amadurecido que chegue a  ser velho. Pois  o amor jamais  envelhece, jamais  acaba.Diz-nos  o apóstolo Paulo: "Quando  eu  era  menino eu falava  como menino, sonhava  como menino,planejava como menino, amava  como menino.Quando cheguei a idade da velhice, eu  mudei: agora eu  penso como adulto... eu  sonho como adulto... eu passei  amar  as  pessoas  como um homem  maduro e  idosso". O tempo  me  fez  mudar  minhas  concepções  de  vida. Mas o  amor  jamais  acaba, jamis  muda...

A  razão natural  de  toda  esta  diferença  está  em que o  tempo  tira a  novidade das  coisas, o tempo  nos  faz  descobrir  os  defeitos,o  tempo nos  deixa  mais  enfadados pelas  coisas, o tempo nos  faz  tirar o  gosto pelas  coisas novas, o tempo  nos faz  gastar, nós ficamos  mais gastados  ou  mais  desgastados pela  vida. Usando o  exemplo do desgaste da água que bate nas pedras. Nos diz  o  velho  ditado: "Agua mole bate em  pedra  dura tanto...tanto... que até  fura..." Muitos  casamentos são  assim; amar  pouco  ou  ter  amado  muito, eis  a  causa  de  muitas  separações. No passado  se  amava  muito agora se  ama  pouco...? ou o  casal  descobre  que não se  ama mais. Comparamos aqui, eis um  abismo  que  chama  outro  abismo...eis  as  quedas  que  chamam as  outras  quedas... eis  os  precipícios  que chamam  outros  precipícios  sem  fim. O  tempo  passa e o  casal  descobre  que  não  amadureceu  o  seu  emocional, não cresceu  em  amor, cai  no  vazio  da  paixão-fugidia, do  amor  que  fugiu  e  sumiu  pelos  dedos, sumiu pelas  emoções, a paixão que  sumiu  pela  sexualidade. Tudo  vira  "tristeza  e  solidão" é  o  que restou, a alegria deixou  este coração, o coração ficou sem  amor, falta de amor deixou  este  casamento  fracassar.


TEMPO  DE  ABORRECER... Se  tudo  tem  o  seu  tempo  determinado debaixo  do  sol, também  existe  o  tempo de SE aborrecer. Assim  se  expressa  o rei  Salomão em  seu  comentário. Em seu livro Cantares  de Salomão ( cantares 5:2-6) assim ele se  expressa: " O  noivo  vem  de  noite  ao  encontro  de  sua  amada  e lhe  diz: "Querida  minha  vem... e  abre  a  porta...? ela  se  demora  em atendê-lo  e  depois  lhe  diz: já perfumei  a  minha cama, já tomei banho, já dei ordens aos meus criados, etc. ele  insiste, mas querida eu vim vê-la,pois estou morrendo de saudades, em  vão... depois de um bom tempo ela lhe responde: já  lavei  os  meus  pés,tornarei a  lavá-los  de  novo..."? Ela enfim, convence  o  seu  noivo  pelo  cansaço,depois  de um  "chá de banco", sentado  ou  de  pé, ele  finalmente  desiste e  se  vai  embora. Ela  não estava  preparada emocionalmente para  receber  o  seu  amor, o  que  ela  queria  era  ficar  a  sós, pensando, lutando consigo  mesma, talvez  estava  começando  aborrecê-lo. Era  um  tempo  certo de se aborrecer um amor de noivado,seria um amor fingido? o  amor  fingido é um amor  imaturo, um  amor  pela  metade, um  amor  sem  definição, um amor  maduro  não tem  pressa, não  arde  em  ciúmes. 
TEMPO  DE  AMAR - A escritora Tim  La Hay  escreve  em  seu  livro  APRENDENDO  A  AMAR - onde a autora nos fala que nem  todas  as  pessoas  estão emocionalmente amadurecidas  para  amar  ou para amar  de  novo.E assim ela acrescenta, as  pessoas  tem  medo  de  amar, tem  medo  de  se  machucar  de  novo. Tempo  de  amar  é  um  novo  tempo  que  se  abre  em  nosso  coração, para  um  relacionamento  a  dois. Ambas  as  pessoas  devem  estar  maduras  emocionalmente para se amarem  de  novo. No  livro  de  Genesis ( Gen.29:18) está  escrito  de  que,  Jacó  trabalhou  sete  anos para  pagar  ao  seu  sogro  pelo  amor  de  Raquel  sua  filha  mais  nova. Este  foi  o  tempo  da  maturação  do  amor, se  Jacó  estava maduro  para  amar, mas  a  sua  noiva, a  sua  pretendida  não  estava  emocionalmente  preparada.Ela  deveria  ser  preparada, deveria  sem cortejada, deveria  ser  acarinhada, para  depois  amar  de  verdade. O  amor  tudo  sofre... tudo  espera... tudo  suporta. Vejamos  o  casso  da  história  acima  que  nos  escreve  o  rei  Salomão, o  noivo  depois  de  um  longo  tempo de  espera na  noite  ele  se  vai  embora  e  vai  aborrecido. Neste  caso,  o noivo  não  teve  a  paciência  de  esperar  nem  por  um  tempo  de  uma  noite ( talvez, oito  horas  de  espera...?) Vemos  que Jacó  esperou  e  trabalhou  para  agradar  ao  seu  sogro, e  para que  o  amor  de  sua  pretendida  noiva pudesse  amadurecer, esperou  sem  pressa, por  durante  sete  anos. Para que seu  amor  estivesse  emocionalmente  maduro  e  definido, este podemos  dizer  que é  um  amor  que  tudo  sofre... tudo  suporta  e  tudo  espera. Este  é  um  amor  que  está  amadurecendo  com  o  tempo, com  os  anos, com  os  séculos,este  é  um amor que vence o  tempo  e as eras, este  amor  jamais acaba. Este  amor  lança  fora  todo  o  medo  de  ser  feliz.
DEUS  AMOU  O  MUNDO  DE  TAL  MANEIRA - Um  amor  profundo, um  amor  sem  pressa,um amor que tudo sofre, um amor que tudo  espera e  jamais acaba, que  enviou  o  seu  filho unigênito, JESUS  CRISTO. Que neste tempo  em  2010  possamos aprender  a  aborrecer um  amor  fingido...?  e  amar  o  verdadeiro  amor. Amando aos  nossos  familiares, filhos, esposa, pais, mães, irmãos  e  a  todos  os  nossos  semelhantes  que somos  tão  carentes  deste  verdadeiro  amor, que vence  todos os  tempos, todos  os séculos  e entra  na  eternidade  afora. Este é um ano do JUBILEU... ANO DE PERDÃO DE  TODAS  AS NOSSAS GRANDES  DÍVIDAS, Deus em Cristo nos perdôou as  nossas  grandes dívidas, de pecados. Deus  seja  sempre  louvado  em  Cristo Jesus  em  2010!
   Pr. Alfonso  Czaplinski

Nenhum comentário:

Postar um comentário